Acalmando os nervos

Ontem eu quase tive um treco. Uma coisa que não podia dar errado meio que deu. Eu me desesperei fiquei chorando sem parar querendo matar alguém (um alguém muito específico no caso) achando que era o fim do mundo. Desci e comprei uma barra de alpino, como eu registrei aqui e me entupi daquilo. Juro não agüentava mais, mas precisava da “injeção de serotonina”.  Naquele momento dieta nenhuma importava, era uma questão de sobrevivência. Sai do trabalho e fui andando de salto(lembram que eu falei que ia fazer o projeto salto para acostumar?) 5 quarteirões para encontrar uma das madrinhas (Si) e a Sá, uma amiga dela fofa  leitora assídua do blog. Já comecei a relaxar ali fazendo o que eu mais gosto no mundo: contar histórias. Depois encontrei outra madrinha (gabizinha) e fomos para o jantar da minha queridíssima Paula Kik. Comida deliciosa (again, calorias não eram minha preocupação), e diversão mais que garantida. Kikola e Gabs,  muito obrigada por bring out my best!

ps: A gente não tinha uma nós 3?

ps 2:Amor: tudo dá certo no final, fato!